Pateira de Fermentelos

A biodiversidade resulta de um equilíbrio harmonioso entre os subsistemas da terra (litosfera, hidrosfera, atmosfera). Esse equilíbrio manteve-se constante durante muitos anos, mas com o aparecimento do homem este equilíbrio começou-se a perder-se.

Nas nossas sociedades industrializadas, a biodiversidade é tomada como certa e vista
como algo livre e eterno. No entanto, a verdade é que as pressões que exercemos sobre
a natureza estão a aumentar e muitas atividades humanas representam uma grande
ameaça para a existência de numerosas espécies.

A lista das pressões exercidas sobre a biodiversidade é longa e inclui a destruição
e fragmentação de habitats, a poluição do ar, da água e da terra, a sob exploração
das zonas pesqueiras, dos recursos, das florestas e das terras, a introdução de espécies
não nativas, bem como a libertação de quantidades crescentes de gases com efeito
de estufa que causam alterações climáticas.

Foi no âmbito da disciplina de sustentabilidade que as turmas do 6º ano da Escola Básica de Valongo do Vouga e em articulação com o Eco-Escolas realizaram um estudo sobre a biodiversidade e mais concretamente sobre a Pateira de Fermentelos, estudo este que terminou com uma visita local à Pateira.

A Pateira, comumente designada como Pateira de Fermentelos, destaca-se no contexto natural regional, nacional e mesmo internacional. Aquela que á a “maior lagoa natural da Península Ibérica” assume grande importância para o equilíbrio dos sistemas naturais da zona, pelo que representa para as populações locais, no contexto natural e socioeconómico e turístico, mas também pela importância que assume nacional e internacionalmente, como área sensível e importante zona húmida de Rede Natura 2000.

O termo “Pateira” encerra a especificidade da região do Vouga e afluentes designando, por si só, abundância de patos.

No que diz respeito à diversidade faunística, a Pateira e zonas envolventes destacam-se, particularmente, pela importante componente ornitológica. Surgem espécies de importância comunitária, como o Garçote, a Garça-vermelha, a Águia-sapeira, o Milhafre-preto. Ocorrem ainda espécies como o Perna-longa, o Guarda-rios, a Petinha-dos-campos. A Garça-branca-pequena, entre outras.

As condições biofísicas proporcionam também a diversidade de peixes que se encontra na Pateira.

Associada aos habitats de zonas húmidas está também uma elevada diversidade de répteis e anfíbios, assim como uma biodiversidade florística.

O Coordenadores Eco-Escolas: Rui Calhau e Isabel Estima

 

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s